TEMPO FRIO | Queima de resíduos plásticos nocivos

Com a descida das temperaturas que se faz sentir recorre-se normalmente a lareiras, salamandras, recuperadores ou fogueiras a céu aberto como fonte de aquecimento, queimando, por vezes, resíduos com componentes plásticos que têm um efeito nocivo no meio ambiente e na saúde pública.

A queima de materiais com plástico, cuja substância principal da sua composição é o petróleo, quer seja de pequenas embalagens, cartões/papel plastificados, ou mesmo madeiras usadas com tintas ou materiais conservantes, libertam na atmosfera diversas substâncias nocivas.

A queima incontrolada característica das lareiras, salamandras, recuperadores de calor ou fogueiras constituí uma séria ameaça à vegetação, à saúde humana e animal, e ao ambiente no seu todo. Uma simples queima de pequenas quantidades de resíduos plásticos torna-se facilmente numa forte contaminação ambiental, provocando o agravamento do efeito de estufa e do aquecimento global.

É de salientar, ainda, que muitas destas substâncias são nocivas não só ao meio ambiente, mas também à saúde da população para além de serem cancerígenas, provocam danos no sistema nervoso, causam perturbações ao nível da tiróide e do sistema respiratório.