Monumentos de Sintra localizados em zonas florestais encerrados até domingo

A decisão decretada pelo Governo esta quinta-feira renova a situação de continência até ao próximo domingo, dia 17 de julho, atendendo às condições meteorológicas previstas para os próximos dias e o consequente agravamento do risco de incêndio rural.

Assim, até às 23h59 de 17 de julho, o Parque e Palácio Nacional da Pena, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos, Chalet da Condessa D'Edla, Parque e Palácio de Monserrate, a Quinta da Regaleira, a Quinta da Ribafria e o Palácio Biester permanecerão encerrados por se situarem em perímetro florestal e pelos respetivos acessos e permanência na zona se encontrarem interditos por questões de prevenção e segurança.

O Palácio Nacional da Vila de Sintra e o Palácio Nacional de Queluz permanecem abertos durante este período, sem alterações ao seu funcionamento habitual.

O perímetro florestal da Serra de Sintra permanecerá encerrado até ao final da situação de contingência, estando proibido o acesso, circulação e permanência (de pessoas e veículos) no interior dos espaços florestais.