Câmara de Sintra cria centros de acolhimento para apoio à população

A autarquia de Sintra adota novas medidas de apoio à população mais vulnerável, com a criação de 208 camas em centros de acolhimento para pessoas sem abrigo, pessoas infetadas com Covid-19, para idosos e pessoas com deficiência, para fazer face ao cenário de emergência decorrente do surto de Covid-19.

As antigas instalações da Polícia Municipal dão lugar ao Centro de Acolhimento para Pessoas Sem-Abrigo, que contará com 38 alojamentos. O acolhimento neste centro inclui refeições, banhos, tratamento de roupa e ainda o desenvolvimento de um plano pessoal de integração.

O Centro para Isolamento de Doentes de Covid-19 conta com 25 alojamentos no Centro Comunitário do Alto do Forte, em Rio de Mouro, que incluem refeições, banhos, tratamento de roupa e vigilância médica necessária.

Estão também criados 2 polos para Acolhimento Temporário de Idosos, sempre que necessária a evacuação de equipamentos sociais, com 120 camas distribuídas pelos Complexos Desportivos Municipais de Fitares e Casal de Cambra. O acolhimento nestes espaços prevê a disponibilização de refeições, banhos, tratamento de roupa e acompanhamento psicológico.

A criação do Centro de Acolhimento Temporário de Pessoas com Deficiência é fruto de uma parceria com a CERCITOP. Este espaço, nas novas instalações do CAO do Lourel, conta com 25 camas e disponibiliza alimentação, banhos, tratamento de roupas e acompanhamento especializado.

Atento ao desenvolvimento do surto em território nacional, o Município de Sintra não exclui ainda a adoção de outras medidas, das quais se destaca a instalação de um Hospital de Campanha, com capacidade para 500 camas e recursos médicos adequados, caso se venha a revelar necessária a sua implementação na região.