Cancelas no Perímetro Florestal da Serra de Sintra encerradas devido a risco de incêndio

Atualização: Cancelas reabertas às 00h00 de dia 26 de julho

Atendendo às condições meteorológicas adversas verificadas e ao risco de incêndio florestal muito elevado foram, hoje, 25 de julho, encerradas as cancelas existentes no perímetro florestal sul da Serra de Sintra.

As cancelas existentes, colocadas nos locais indicados na proposta 279/-P/2020, foram acionadas e estes acessos permanecem encerrados enquanto se mantiver a situação de risco de incêndio elevado.
Zonas de acesso interdito:

• Cruzamento da Azóia;
• Caminho da Urca / Pedras Irmãs;
• Cruzamento dos Capuchos - acesso ao Monge;
• Cruzamento dos Capuchos - acesso ao cruzamento da Portela;
• Cruzamento da Portela - acesso ao cruzamento dos Capuchos;
• Cruzamento da Portela - acesso à Azóia.

Adicionalmente, a autarquia informa que o concelho de Sintra se encontra em Perigo de Incêndio Rural “Muito Elevado” não sendo permitida a realização de trabalhos nos territórios rurais e na envolvente de áreas edificadas com recurso a motorroçadoras, corta-matos e destroçadores, todos os equipamentos com escape sem dispositivo tapa-chamas, equipamentos de corte, como motosserras ou rebarbadoras, ou a operação de métodos mecânicos que, na sua ação com os elementos minerais ou artificiais, gerem faíscas ou calor.

A decisão de encerramento do Perímetro Florestal surge na sequência de:
• O IPMA emita Risco de Incêndio Elevado ou superior;
• O IPMA emita Aviso Laranja, ou superior, para a intensidade do vento;
• Sempre que as Autoridades de Proteção Civil competentes emitam estado de Alerta Laranja, ou superior, para a Intensidade do Vento.

Durante este período continuam a poder circular: veículos de socorro, de emergência e das entidades integrantes do Sistema Municipal de Proteção Civil.

A Serra de Sintra integra uma região de proteção classificada sensível ao risco de incêndio florestal, caracterizada por um elevado número de visitantes. Torna-se assim fundamental acautelar a sua proteção, manutenção e conservação considerados objetivos do interesse público, de âmbito mundial, nacional e municipal.